Fluxo de caixa

: tudo o que você precisa saber!
Fluxo de caixa

Por Artigo de Wallace Castro. Postado em 17/10/2017. Última atualização em 17/10/2017.

Tempo estimado de leitura: 23 minutos.

Uma das principais dificuldades dos empreendedores de primeira viagem é o gerenciamento do fluxo de caixa.

Em uma franquia, esse valor ganha uma importância ainda mais especial, dado que o empreendedor precisa corresponder às expectativas da rede e demonstrar o seu potencial para o crescimento de todos.

Em geral, podemos entender o fluxo de caixa como as entradas e as saídas de recursos de qualquer tipo de organização.

Se o fluxo de caixa está positivo, entraram mais recursos em relação às saídas. Se ele está negativo… Bom, você já sabe.

Felizmente, há uma série de modelos de fluxos de caixa para os mais diversos tipos de bolsos e perfis de gestores.

Está se preparando para uma carreira no empreendedorismo e quer se surpreender positivamente com os resultados financeiros do seu negócio? Então acompanhe o que nós preparamos para você neste post:

CONTINUAR LENDO

1. O que é fluxo de caixa?

Fluxo de Caixa é um controle de toda a movimentação financeira com o objetivo de controlar, monitorar e até projetar as entradas e as saídas dos recursos financeiros de um negócio.

Com o objetivo de apurar qual o saldo em caixa para cada período analisado, o fluxo de caixa precisa ser fácil e prático de fazer, assim a gestão financeira do seu negócio ficará controlada e organizada.

Além de ajudar a controlar suas receitas e despesas, o fluxo de caixa lhe dará uma visão mais clara de qual caminho você deve seguir, e, tomar decisões mais acertadas, com base em seu financeiro.

Capriche nas informações não deixando nenhuma entrada (receitas) nem saída (despesas) sem ser informada, assim você conseguirá avaliar também sua lucratividade, rentabilidade, além do retorno sobre seu investimento.

Explicaremos tudo isso no decorrer deste artigo.

2. Qual é a importância do fluxo de caixa?

O fluxo de caixa documenta todas as movimentações financeiras da sua empresa, registrando as entradas e as saídas de dinheiro.

Assim que abrimos uma empresa, seja ela uma franquia ou não, precisamos montar lojas, cuidar do estoque, divulgar a marca e contratar funcionários.

Alcançar um número substancial de vendas pode levar 6, 9,12... meses, dependendo do modelo de negócio e da operação do mesmo, exigindo que o empreendedor esteja preparado para isso antes de receber pelas vendas.

Considere também que, à medida que a empresa cresce, é preciso cada vez mais dinheiro para manter a evolução do negócio.

Afinal, da mesma forma que as vendas aumentam, os custos crescem.

O gerenciamento correto do fluxo de caixas é, também, uma oportunidade para a obtenção de investimentos.

Afinal, sem saber qual é o valor da sua franquia, como demonstrar que ela vale o capital que será aplicado?

3. Quais são os diferentes tipos de fluxos de caixa e como diferenciá-los?

fluxo de caixa gráfico Há uma série de formas de gerenciar as movimentações financeiras da sua empresa. Confira:

Fluxo de caixa diário

O fluxo de caixa diário permite um controle de resultados dia após dia.

Esse controle rotineiro permite a identificação rápida de erros para que eles sejam revertidos em tempo.

Esse controle diário deve ser iniciado com a abertura do caixa, o que garante uma verificação do valor inicial de reserva (também conhecido como valor de encaixe).

Em seguida, é preciso que você registre todas as transações realizadas no momento em que elas acontecem, de forma que não se esqueça de detalhes.

Separe os comprovantes de acordo com cada tipo de transação.

Na hora de fazer o fechamento do caixa, conte os valores de acordo com cada tipo de transação.

Fluxo de caixa mensal

Já o fluxo de caixa mensal permite o monitoramento mês a mês, de forma que o empreendedor identifique sazonalidades e possa comparar o mesmo período em anos diferentes.

A planilha de fluxo de caixa mensal deve ser aliada à de fluxo de caixa diário, de modo que a margem de erro dos registros fique cada vez menor.

Assim, se há uma promoção, ao final do dia, já é possível entender quais foram os resultados desejados.

Fluxo de caixa projetado

Nesse tipo de fluxo de caixa, o gestor analisa os pagamentos e os recebimentos do presente e, em seguida, faz uma média e os projeta para construir uma visão do negócio para o futuro.

Assim, ele é focado na antecipação de situações de risco e no estabelecimento de estratégias para que não haja danos.

Em seu plano de contas, verifique todas as categorias de entradas e saídas da sua empresa.

Observe, também, o saldo inicial e o final de cada mês, bem como o montante recebido ou o gasto com cada categoria de receita e despesa.

Alie esses valores ao estudo de viabilidade econômica de sua empresa, que informa qual é a receita mensal, o número de dias trabalhados, o número de funcionários e os custos mensais, divididos em subcategorias.

A realização da previsão de caixa somente será possível após a obtenção do histórico de movimentações financeiras.

O fluxo de caixa projetado será construído com a criação de cenários padrões, otimistas e pessimistas, minimizando a taxa de falhas.

Com a programação de ganhos e despesas, sua empresa terá uma gestão aprimorada dos recursos e até mesmo a possibilidade de maximizar os lucros.

Fluxo de caixa operacional

O fluxo de caixa operacional pode ser calculado com uma equação relativamente simples: lucro operacional = Lajir + desvalorização − impostos Lajir Aqui, Lajir é a sigla para o valor correspondente ao lucro antes de juros e impostos de renda.

O fluxo de caixa operacional é uma das principais ferramentas para calcular os lucros de uma organização, pois se refere aos resultados obtidos por um negócio em decorrência da variação no capital de giro.

Fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre ou final mensura a capacidade de geração de capital em curto, médio e longo prazos, fornecendo o saldo existente em relação ao fluxo de caixa operacional.

Isso significa que ele indica o saldo existente após descontar o pagamento da dívida ou o recebimento de mais empréstimos.

Um bom gestor trabalha com 2 tipos de relatórios:

  • o que projeta os resultados para um período de até 90 dias;
  • e o que trabalha com um prazo maior, de até 5 anos.

Verificando como o negócio se comporta, é possível entender se ele atende às expectativas.

Se a empresa tem um balanço positivo, ou seja, tem um superávit, é possível aplicar o capital ocioso.

No caso de um diagnóstico oposto, é preciso se preparar para tirar o negócio do vermelho.

Fluxo de caixa indireto

Esse método se baseia nos lucros e prejuízos do exercício (também conhecido como DRE), sendo ajustado por valores como a amortização, depreciação e variações em contas patrimoniais.

Baseia-se no DRE, e não na análise dos fluxos de caixa da empresa.

Fluxo de caixa descontado

O fluxo de caixa descontado torna possível a antecipação do fluxo de caixa de uma empresa no futuro.

A taxa de desconto é formada por todos os custos do capital e os riscos que o empreendimento possui.

Dessa forma, há 4 elementos a serem calculados nessa metodologia:

  • estimativa de fluxo de caixa: corresponde ao montante do valor recebido e gasto por uma empresa durante um determinado período;
  • cálculo de valor residual: o valor residual de um bem é o valor estimado do ativo ao final da vida útil dele. Assim, você verifica qual é o período em que esse ativo pode ser usado pela empresa;
  • determinação da taxa de desconto: obtemos esse valor com o cálculo do custo médio ponderado de capital e os riscos de investimento;
  • cálculo do valor da empresa: trata-se de uma projeção do que sua empresa pode produzir no futuro, considerando os descontos do tempo gasto para isso e os riscos assumidos.

Assim, sob a metodologia do fluxo de caixa descontado, você mede o valor da sua empresa terá com a quantidade de recursos gerados no futuro somado ao valor que ela possui atualmente, subtraindo o tempo e os riscos.

4. Como fazer um fluxo de caixa de sucesso?

fluxo de caixa - entradas e saidas O controle de fluxo de caixa deve ser aliado a uma análise de dados, sendo um passo fundamental para empreendedores que estejam no setor de franquias.

Afinal, o comprometimento com bons resultados fortalece o seu crescimento dentro da rede! Um software de gestão pode facilitar o lançamento e a leitura de informações.

Até mesmo a Microsoft já preparou uma planilha para a criação do fluxo de caixa de sua empresa.

Se você quer mais dicas para construir um fluxo de caixa de sucesso, confira os próximos parágrafos:

Elabore um plano de contas

O plano de contas pode ser definido como a lista de categorias de receitas e despesas do seu negócio.

É preciso ter cuidado com o planejamento e com a definição dessas categorias, pois quanto maior a complexidade delas, maior o desgaste no momento de realizar os lançamentos financeiros na sua plataforma de fluxo de caixa.

Pense, por exemplo, no trabalho que o contador teria ao analisar 300 categorias de receitas e despesas.

Além de facilitar a vida dos seus colaboradores, você também melhora o processo de tomada de decisões, pois fica mais fácil ver onde estão as maiores concentrações de custos e de recebimentos.

Simplifique

Você precisa pensar em uma maneira fácil e simples para realizar os lançamentos financeiros no seu sistema de gestão.

Especialistas recomendam que eles sejam feitos diariamente, e seus colaboradores não podem perder muito tempo com essa tarefa.

Seja assíduo

É preciso que você tenha sempre o controle das contas que foram pagas ou recebidas, fazendo a gestão de pendências e tarefas cumpridas.

A assiduidade é o que aumenta a precisão das análises e controles.

download da Planilha de Fluxo de Caixa Baixe gratuitamente uma Planilha de Fluxo de Caixa.

5. Quais são as dificuldades para realizar o controle do fluxo de caixa?

Uma das grandes dificuldades para realização do controle de fluxo de caixa é a definição de um processo administrativo e financeiro para organização dos lançamentos das contas no sistema.

Com os dados desatualizados, os funcionários acabam gastando um tempo maior para os lançamentos de longos períodos, fazendo com que eles fiquem estressados e a incidência de perda de dados seja maior.

É comum que, com o grande volume, alguns lançamentos sejam negligenciados, especialmente se o funcionário encarregado está cansado.

Some a esse cenário os custos operacionais de manter um funcionário fazendo retrabalhos e lançando dados novamente.

Daí a importância de definir um processo descomplicado e fluido, que possa ser seguido diariamente, sem gerar transtornos na rotina do funcionário.

Empresas que deixam esses dados para serem atualizados somente no final de semana deixam a gestão de fluxo de caixa em 2º plano e dificultam o avanço do setor de finanças.

O uso de cadernos é bastante ultrapassado, embora uma série de empresas ainda insistam nesse método.

Trata-se, também, de uma dificuldade.

Afinal, quem vai folhear todas as páginas e somar os valores para verificar os resultados da empresa?

O caderno também não permite a adição rápida de categorias.

É preciso que os gestores entendam que o controle de fluxo de caixa vai muito além do simples lançamento de dados em uma planilha (o que pode ajudar para quem não tem absolutamente nada).

É necessário que o sistema utilizado permita o cruzamento de informações para que os colaboradores responsáveis possam verificar se o fluxo de caixa é positivo, quais são os gargalos, quais são as despesas que merecem ser trabalhadas para a redução de custos, quais são os custos fixos, entre outras coisas.

Daí a ineficiência do “caderninho”.

A plataforma escolhida não deve apenas ser simples de alimentar, mas também simples de entregar as informações.

Ela deve facilitar o acompanhamento de dados e indicadores, fornecendo recursos para a organização de compras e vendas, recebimentos e pagamentos.

6. O que analisar no fluxo de caixa?

Agora que você já sabe qual é a função do fluxo de caixa em uma empresa e o que precisa para construir uma análise bem-sucedida, é hora de aprender quais são os principais aspectos a serem analisados.

Saldo mensal e acumulado

Verifique se o seu saldo mensal indica lucro ou prejuízo.

O saldo acumulado deve indicar que a sua empresa possui capital de reserva.

Em períodos difíceis, como crises financeiras, temporadas de pouco movimento e variações de mercado, é importante ter capital de giro e uma poupança para fomentar novas estratégias de comunicação e inovações.

Equilíbrio entre receitas e despesas

Acompanhe qual é o fluxo de receita e de despesas mês a mês, identificando se houve lucro ou prejuízo.

Esses dados são essenciais para verificar a sustentabilidade do seu negócio.

Quanto mais dinheiro em caixa, maior a possibilidade de realizar financiamentos e negociar com fornecedores.

Aos poucos, essa observação conduzirá à identificação de padrões, como picos de receitas, vendas conduzidas por sazonalidades e meses em que as vendas costumam não performar tão bem assim.

Esse é o 1º passo para entender quais fatores mercadológicos exercem impacto direto em seu negócio.

Quanto maior o histórico, mais precisas serão suas análises. S

e o início do mês está marcado por grandes despesas, como o pagamento de funcionários, você pode procurar estratégias para programar os pagamentos para outros períodos do mês.

Quando a folha de pagamento e os fornecedores são pagos em um mesmo dia, o volume de trabalho administrativo cresce significativamente.

Lucratividade do negócio

A lucratividade, segundo o Sebrae, é um indicador de eficiência operacional expresso em forma de valor percentual.

Ela indica qual é o ganho que a empresa gera sobre o trabalho que desenvolve.

Dessa forma, se sua empresa tem uma lucratividade de 15%, a cada R$ 100,00 que ela vende, sobram R$ 15,00 após o pagamento de todos os impostos e despesas.

Assim, ela agrega R$ 15,00 sobre a produção e comercialização dos produtos e serviços.

Como calcular a lucratividade do negócio

Para calcular a lucratividade, basta usar a seguinte fórmula: lucratividade = (lucro líquido ÷ receita total) × 100 É preciso que você tenha um olhar atento sobre o lucro gerado pela sua empresa.

Alguns especialistas indicam que a lucratividade das empresas esteja sempre maior que 10%.

É claro que essa taxa varia de negócio para negócio, e existem empresas com margens menores que conseguem manter a sustentabilidade do negócio, gerando fluxo de caixa positivo.

Embora ambos sejam indicadores importantes para acompanhar a sustentabilidade de um negócio, a rentabilidade e a lucratividade possuem diferenças entre si, sendo confundidos com frequência.

A lucratividade indica se o negócio justifica as operações, mostrando se as vendas são suficientes para pagar os custos e as despesas (e gerando, é claro, lucros).

Já a rentabilidade mostra o percentual de retorno sobre o investimento realizado em uma empresa.

Como calcular a rentabilidade

O cálculo da rentabilidade também é muito simples, resumindo-se a: rentabilidade = (lucro líquido ÷ investimento total) × 100 Se a lucratividade demonstra os ganhos imediatos da sua empresa em um certo período, a rentabilidade fornece dados sobre o retorno sobre o investimento realizado em um negócio em longo prazo.

Gostou de nossas dicas para fazer a gestão do fluxo de caixa do seu empreendimento?

Se você quer ter uma forma consistente de obter renda e inovar com independência, é provável que se encontre como franqueado!

Siga a Liguesite no Facebook, no LinkedIn e no YouTube e obtenha ainda mais conhecimento sobre o potencial das franquias para o seu crescimento! Deve ter percebido que para empreender é preciso muito conhecimento?

Por isso uma franquia pode ser uma ótima opção, e se você precisar de ajuda para escolher a melhor franquia para investir, ou simplesmente deseja abrir o seu próprio negócio, para ter mais segurança, liberdade e crescer, fique à vontade para falar conosco.

A missão das Franquias de Sucesso Liguesite é qualificarmos os empreendedores das nossas franquias para que ofereçam as melhores soluções digitais do mercado, fazendo com que produtos, serviços e marcas sejam encontradas por quem as procura.

Somos conectados e conectamos pessoas, via internet.

Seja estratégico, conecte-se.

Aficionado por empreendedorismo, graduado em Tecnologia, Marketing e Economia, já geriu áreas comerciais de diversas empresas de tecnologia, participa como voluntário do ITFB e ICM, atualmente é o Diretor Comercial e Marketing da rede de Franquias Liguesite.

Liguesite

O blog Liguesite oferece conteúdo de marketing digital gratuito para empreendedores alcançarem resultados positivos em seus negócios com a internet. Nós queremos ajudar você e a sua empresa também!

Liguesite Matriz

ENDEREÇO

Rua Antonio Daniel Dalcuche Filho, 27
Curitiba
Paraná

 

ATENDIMENTO

(11) 4063-2828   |  (21) 4062-7834
(31) 4062-7934   |  (41) 4063-9808
(48) 4062-1878   |  (71) 4062-9878
(81) 4062-9802   |  (85) 4062-8442

sac@liguesite.com.br

© 2018 Liguesite. Todos os direitos reservados. Leia nossa Política de Privacidade.