O que preciso saber para abrir uma franquia de sucesso?

O que preciso saber para abrir uma franquia de sucesso?

Por Artigo de João Cesar. Postado em 16/03/2017. Última atualização em 16/03/2017.

Tempo estimado de leitura: 25 minutos.

O setor de franchising brasileiro apresentou um crescimento de 8,8% entre o terceiro semestre de 2016 e o mesmo período em 2015.

Entre julho e setembro do ano passado, o faturamento foi de R$38,836 bilhões. Os dados são de uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) e veiculada na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

São diversos os setores contemplados pelo crescimento do franchising. Segundo a mesma pesquisa, os serviços automotivos cresceram cerca de 20%, beleza e lazer, esporte e saúde 13%, o vestuário teve um aumento de 12% no mercado e comunicação, informática e eletrônicos expandiram aproximadamente 12%.

Mas qual seria o segredo para manter o crescimento em um cenário econômico tão hostil?

A resposta pode estar nos valores de colaboração, intrínsecos ao modelo de franquias. O crescimento em rede ajuda as marcas a preparar os negócios para situações adversas, e faz com que os "veteranos" ajudem os empreendedores principiantes. A gestão fica potencializada, concentrando-se nos resultados.

Você deve estar se perguntando: o que preciso saber para abrir uma franquia de sucesso?

Se você está pensando em abrir uma franquia, este guia é para você! Nele, você vai entender o conceito de franquia, como funciona o franchising, quais são as vantagens de uma franquia, o que é COF e muitos outros conceitos fundamentais para alcançar o sucesso no mundo dos negócios. Vamos lá?

CONTINUAR LENDO

1. Conceito de franquia

Basicamente, uma franquia pode ser definida como um sistema onde duas partes, franqueado e franqueador, estabelecem um acordo.

Nesse acordo, o franqueador cede ao franqueado alguns direitos para que ele possa usufruir dos benefícios de seu modelo de negócios, tais como o uso da marca, um sistema de operação, gestão e a comercialização de seus produtos e serviços.

De acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franquias), desde 2011, o crescimento do setor de franquias é superior ao crescimento do PIB de nosso país. Tanto que o faturamento do setor foi de 29 bilhões em 2003 para 11 bilhões de reais em 2013, como mostra essa reportagem do UOL.

Esse crescimento foi provocado por uma série de fatores, como a existência de uma lei de franquias, que busca dar mais segurança ao sistema e mais transparência nas negociações.

A COF ― Circular de Oferta de Franquia, é um dos instrumentos mais poderosos dessa lei, e esclarece informações específicas sobre o funcionamento da franquia ao interessado, antes que ele assine contratos. Falaremos sobre ela adiante!

Se quiser assista nosso Treinamento sobre Franchising, ministrado pelo CEO da Liguesite.

2. Como funciona uma franquia

Em uma franquia, o detentor de uma marca, também conhecido como franqueador, cede ao interessado (o franqueado) os direitos de uso de sua empresa.

A relação é de ganha-ganha: os franqueados entram no mercado com um modelo de negócio já testado, com o apoio do franqueador e com uma marca conhecida, e a outra parte expande seus negócios e recebe royalties.

Para iniciar uma franquia, o futuro franqueador precisa avaliar se o negócio é realmente lucrativo e se possui características únicas, que justifiquem a comercialização dele em forma de franquia, mas principalmente ter um modelo de negócio já testado e com sucesso no mercado.

Em seguida, ele deve traçar um modelo de negócio e fazer o plano de negócios da empresa franqueadora e das unidades franqueadoras. Esse trabalho pode necessitar do acompanhamento de um especialista.

Já aqueles que desejam ser franqueados precisam analisar seu perfil de empreendedor e entender qual é a área mais adequada para si. Em seguida, deve-se analisar quais empresas se encaixam em seu perfil e solicitar a COF e o Plano de Negócios antes de fechar contrato.

3. Custos de uma franquia

Uma das grandes preocupações de quem quer abrir uma franquia são os custos de implantação e operação do negócio. Para iniciantes, muitos desses valores não aparecem de maneira clara e transparente no momento de avaliação do investimento.

É preciso ter em mente que esses custos são inerentes à abertura de qualquer tipo de negócio, e é importante conhecê-los bem antes de aplicar o seu dinheiro. Para facilitar suas contas, esclareceremos alguns dos custos de uma franquia! Confira a seguir!

Capital de giro

O capital de giro é uma reserva inicial disponível para gerenciar as despesas iniciais. Afinal, as receitas de início costumam não cobrir o pagamento das primeiras despesas. Isso é perfeitamente normal, pois tanto o gestor quanto o time precisam ter um tempo de adaptação à nova rotina.

Custo de aquisição e ocupação do ponto comercial

Impostos como IPTU, taxas de regularização, bombeiros e seguros exercem um impacto significativo no início do negócio.

É preciso estar preparado para eles! Valores destinados para condomínio, bem como detalhes de aluguel (13º, valores calculados sobre o faturamento mínimo, dentre outros), precisam ser esclarecidos no momento da locação. Algumas taxas podem dobrar o valor da locação, tenha cuidado!

Honorários profissionais e de administração

É preciso contar com uma boa infraestrutura para que atividades burocráticas tenham fluidez e o cotidiano da administração seja facilitado com a organização.

Inclua em seu planejamento os custos envolvidos com contadores, que ajudam na montagem da empresa até o dia a dia do negócio, bem como advogados, que auxiliam com consultorias.

Compra de produtos

Uma grande parte das franquias no Brasil vendem produtos para a rede, de forma a transformar franqueadores em atacadistas e franqueados em revendas. Essas franquias têm taxas cobradas sobre o volume de compras.

Verifique se a margem que você terá na revenda é compensadora e se você terá exclusividade na sua área de atuação.

Neste modelo tenha em mente o controle bem ajustado de estoques e de logísticas.

Treinamento do franqueado

Geralmente, o treinamento inicial do franqueado está embutido na taxa de franquia. Contudo, é preciso ter em mente que você tem de arcar com as despesas de locomoção, alimentação e hospedagem, bem como para participar de convenções.

Revitalização e manutenção de loja

Algumas franquias exigem loja física e uma revitalização do negócio de tempos em tempos (período estabelecido no contrato). Verifique se, além disso, há também despesas adicionais de taxa de propaganda, como as usadas nas vitrines da loja.

Esses investimentos são periódicos, e se não forem bem manejados, podem não contribuir com a lucratividade do negócio. Afinal, de que adianta investir na preparação de uma loja para a Páscoa sem fazer o devido esforço para engajar os clientes durante a data comemorativa?

Sistemas e equipamentos

Softwares de gestão de negócios demandam custos de aquisição e licença, bem como taxas de manutenção. A aquisição de novos equipamentos é necessária quando o franqueado não tem a infraestrutura tecnológica adequada para administração do negócio.

Equipamentos exigidos para cartões de crédito e suas taxas também devem ser incluídos nos custos mensais. Leve em consideração os impostos, pois as informações das transações são registradas diretamente na Receita.

Corretagem e taxas de franquia

Quem adquire uma franquia por meio de um corretor, consultor ou intermediário, precisa entender que ele está levando até 80% da taxa de franquia. Na maioria dos casos, ela é paga pelo franqueador ao corretor, e em algum momento, ele precisa repor essa quantia ao franqueador. Fique atento!

Royalties, contribuições anuais para os fundos de marketing, dentre outros, são esclarecidos na Circular de Oferta da franquia escolhida. Em alguns casos, os franqueadores optam por embutir esses custos na compra dos produtos.

Agora que você já sabe quais são os custos de uma franquia, entenda como levantar capital para abrir o seu próprio negócio!

4. O que é COF

A Circular de Oferta de Franquia, ou COF, é um documento utilizado pelo franqueador para fornecer as informações jurídicas, financeiras e comerciais da franquia para os investidores interessados em adquirir e administrar uma unidade da rede.

Trata-se de um documento formal, que deve ser entregue com um prazo de, pelo menos, dez dias antes da assinatura do pré-contrato de franquia, caso o candidato opte por investir nela.

É a COF que estabelece todas as diretrizes do negócio, e por isso ela é tratada com tanta seriedade pela Lei de Franquias.

A Lei 10406 ― 10/01/02 estabelece que o franqueador não pode prometer o que não pode fornecer, nem mesmo omitir ou falsificar dados. Caso contrário, ele se responsabiliza pelo franqueado lesado pela ausência de informações na Circular de Oferta de Franquia.

E se a Lei de Franquias estabelece punições claras caso o franqueador negligencie a COF, a leitura desse documento é de total responsabilidade do candidato. Afinal, para que o negócio seja bem-sucedido, é preciso entender suas diretrizes e modos de operar.

5. 8 vantagens de uma franquia

O crescimento acelerado das franquias em nosso país não é um capricho do acaso. Uma série de fatores contribuem para que as redes continuem a expandir, como você pode conferir a seguir!

Para o franqueador

Expansão mais rápida

Um dos maiores diferenciais de uma franquia é a possibilidade de expansão rápida, já que uma boa parte dos investimentos parte dos franqueados.

A necessidade de capital da empresa, portanto, é bem menor. Assim, os espaços podem ser ocupados rapidamente, ampliando as dificuldades para a concorrência.

Aspectos jurídicos

O sistema de franquias conta com uma legislação que estabelece claramente as responsabilidades das partes, bem como a não existência de vínculos trabalhistas e fiscais entre franqueadores e franqueados.

Ela também tem argumentos claros para os controles de padrões, procedimentos operacionais e formas, de maneira que o consumidor tenha uma experiência de marca condizente em todas as unidades da franquia.

Rede de troca de conhecimentos

Uma das maiores vantagens para franqueados e franqueadores é permitir a troca de conhecimentos entre todos os integrantes, de modo que a rede cresça junto.

O potencial de negócios da marca aumenta, e as práticas bem-sucedidas podem ser difundidas de forma consistente, gerando vantagens competitivas para todos.

Apoio dos franqueados

Quando o franqueado entende bem o seu papel na gestão do negócio, os resultados tendem a ser satisfatórios para todas as partes. É importante esclarecer que os franqueados precisam se envolver e engajar-se no crescimento do negócio, buscando a lucratividade e a rentabilidade.

Enquanto a rede cresce, o poder de negociação dela é ampliado, permitindo que a empresa franqueadora tenha maior poder de negociação com fornecedores homologados e conquiste o olhar de mais parceiros no mercado. Isso proporciona economia para todos, potencializando os resultados do negócio.

Para o franqueado

Apoio do franqueador

Em relação a quem monta um negócio independente, as chances de um franqueado obter sucesso em seu negócio em um sistema de franquias formatadas são bem maiores.

Isso porque o franqueador já tem uma rede própria de distribuição, um modelo de negócio testado, bem como um marca e produtos mais difundidos no mercado. O franqueado recebe também orientação e treinamento do franqueador, que deseja, sobretudo, zela pelo sucesso de sua marca.

Maior garantia no mercado

Como dissemos acima, o franqueado tem a vantagem de contar com os conhecimentos do franqueador na gestão de seu negócio. Afinal, ele não só testou seus produtos e sua marca no mercado, como também planejou sua expansão e conhece o perfil dos clientes.

O franqueador terá informações relevantes em relação à melhor maneira de produzir e/ou vender, bem como se portar diante da concorrência. Isso fortalece o franqueado no mercado, e é especialmente interessante para quem está começando no mundo dos negócios.

Economia de escala

Por participar de um processo de compras que envolve toda a rede, os franqueados têm acesso a uma economia de escala. Isso reduz os preços pagos a fornecedores e diminui custos com propagando, por exemplo.

Foco

Por não terem de cuidar do desenvolvimento de produtos e serviços para a rede, os franqueados podem se concentrar na obtenção de resultados, bem como na gestão do negócio.

Se você está começando sua carreira no mundo do empreendedorismo agora, confira o nosso Manual do Empreendedor e se vale a pena começar a investir em franquias!

6. Relação entre franqueador e franqueado

Para manter a harmonia entre ambos, é preciso que franqueado e franqueador se disponham a cumprir alguns procedimentos.

O franqueado, por exemplo, tem o dever de pagar algumas taxas, seguir as regras do sistema de franquias escolhido, fazer e fornecer relatórios de despesas, faturamentos e outras métricas estabelecidas no contrato, contratar funcionários qualificados, dentre outros. O franqueador, por outro lado, tem de se mostrar disponível para atender os franqueadores e cuidar de sua rede.

A relação entre franqueador e franqueados deve ser marcada pelo ganha-ganha. Mas quais são os direitos e deveres que regem essa relação? É o que vamos conferir a seguir!

Quais são os deveres do franqueado ao abrir uma franquia?

Ao franqueado, não só cabe cumprir metas de vendas como também o pagamento de taxas de aquisição. Veja mais detalhes:

Ler a Circular de Oferta da Franquia (COF) com atenção

O candidato a franqueado não pode adquirir a franquia sem receber e ler a COF com muita atenção. Afinal, esse é o documento responsável por informar todos os dados do negócio no qual ele está investindo.

Manter a franquia em constante crescimento

O franqueado não pode esperar que o sucesso caia dos céus, não é mesmo? Quem adquire uma franquia precisa estar engajado com o crescimento constante do negócio, promovendo a marca e fazendo com que o negócio evolua. Além disso, ele também precisa colaborar com o crescimento de toda a rede.

Seguir as regras da franquia

O franqueado precisa operar de acordo com as regras estabelecidas pelo franqueador, de forma a manter uma experiência de marca coerente para o público.

Arcar com taxas, despesas e custos

Dentre as taxas que o franqueado deve pagar à franqueadora, estão os valores de aquisição e continuidade da franquia, como royalties, taxas de franquia e uma contribuição periódica para um Fundo Cooperativo de Marketing.

Despesas e custos ligados à operação e gestão do negócio, como aquisição de mercadorias, pagamento de salários, fornecedores, dentre outros, são de responsabilidade do franqueado.

E quais são os direitos do franqueado?

Quem abre uma franquia é inserido em uma rede disposta a colaborar com o crescimento comum. Confira quais são os direitos do franqueado:

Apoio do franqueador

O franqueado tem o direito de contar com o apoio do franqueador para obter orientações para a gestão do negócio enquanto eles mantiverem uma relação contratual.

Suporte da rede

É comum que franqueados precisem comparecer a convenções, encontros e grupos temáticos promovidos pelo franqueador. Esses recursos ajudam a promover a integração entre os franqueados e fortalece a atuação dos principiantes.

Ao franqueador, cabe permitir o uso da marca, prestar serviços de organização empresarial, oferecer a COF, prestar informações essenciais para a operação do empreendimento e não fazer alterações contratuais sem um aviso de, pelo menos, 10 dias de antecedência.

Se você quer conhecer outros direitos e deveres de franqueados, entendendo os vínculos empregatícios entre franqueadores, franqueados e funcionários, leia o nosso post especial sobre o assunto!

7. 6 mercados para apostar em uma franquia

Os setores que se destacam no franchising em 2017 têm uma grande relação com a crise econômica que ainda afeta o nosso país. As lojas se tornam menores e os serviços de reparos se destacam. Some a isso o crescente acesso a tecnologias móveis. Para ajudar você com as apostas certas, confira a nossa seleção de tendências abaixo!

Franqueados multiunidades e multimarcas

Franqueados que possuem diversas unidades de uma mesma marca já são comuns. Nos Estados Unidos, porém, os franqueados que têm unidades de várias marcas diferentes estão crescendo.

Especialistas afirmam que esse modelo é para pessoas experientes, com um bom histórico no mercado. Para os franqueadores, a vantagem está no fato de eles necessitarem de menos treinamento. É preciso apenas ensiná-los sobre a marca.

As desvantagens, contudo, estão em uma paixão menor pela marca, o que pode diminuir o engajamento do franqueado. Resultados ruins em outros negócios também podem afetar a franquia.

Investimentos dos fundos de private equity

Criados por grandes investidores, os fundos de private equity têm como objetivo reunir capital para comprar e vender empresas. Hoje, muitos deles estão adquirindo participação nas empresas franqueadoras.

De acordo com depoimentos de especialistas para a revista PEGN, esses fundos têm um período curto para entrar e sair dos negócios, cerca de quatro a seis anos.

Investidores também têm se atentado para os franqueados, procurando empreendedores com grandes perspectivas de crescimento. A intenção é expandir o número de unidades franqueadas e estabelecer uma boa relação com os franqueadores.

Precauções com a privacidade

A segurança da informação é uma preocupação crescente, e não seria diferente no mercado de franquias. O vazamento de dados de clientes acarreta altos gastos para o franqueador, bem como constrangimentos.

Notificar as pessoas, monitorar serviços, oferecer atendimento e contratar bons advogados acarreta em altos custos. Mesmo que o vazamento ocorra em apenas uma unidade franqueada, o franqueador pode ser responsabilizado pela falta de segurança da informação.

Marketing digital e tecnologia

Uma recessão nunca é igual à outra. Por isso, as empresas precisam ter o amadurecimento de entender mudanças na psicologia e nos hábitos do consumidor, ajustando suas estratégias para novas realidades.

Embora seja um dos setores mais atingidos por demissões durante crises econômicas, o marketing exerce um papel fundamental no diagnóstico desses comportamentos, como mostra este estudo publicado na Harvard Business Review.

Por esse motivo, o setor de marketing digital é um dos mais promissores do ano de 2017. Com ferramentas eficientes para estreitar o relacionamento entre empresas e o público, mensurar resultados e aumentar as oportunidades de negócios, é uma maneira mais acessível de divulgar o negócio de forma otimizada.

Modelos enxutos e home based

Diversas redes aderiram ao lançamento de lojas menores, atraindo empreendedores com menor poder de investimento. Antes de se decidir por uma marca, vale conferir se o formato enxuto já foi testado pela franqueadora.

Outro segmento que se destaca nesse cenário são as franquias home based. Confira as vantagens do modelo aqui!

Alimentação e saúde

A alimentação saudável é uma tendência que veio para ficar. Embora os custos desse tipo de dieta sejam relativamente elevados, os brasileiros estão dispostos a gastar mais com alimentos benéficos para o organismo (veja aqui).

Impulsionados pela maior busca por saúde e bem-estar, redes de academias, restaurantes de alimentação saudável e de delivery crescem em nosso país.

A busca pela qualidade de vida também atinge o público da terceira idade, o que alimenta negócios voltados para os idosos no Brasil.

O mercado de franquias no Brasil continua caminhando para o amadurecimento. Embora não seja tão consolidado quanto o franchising norte-americano, ao que tudo indica, estamos na mesma direção.

Somos pioneiros na América Latina em relação à Lei de Franquias, o que nos ajudou a criar uma das associações de classe mais atuantes em todo o globo. As franqueadoras estão cada vez mais profissionais, criando sistemas modernos de implantação e gestão das unidades, o que melhora as taxas de êxito dos franqueados.

Se você está interessado em abrir uma franquia digital, que pode ser operada em casa, sem estoques para controlar, e com uma ferramenta exclusiva para criar sites, lojas virtuais e blogs, entre em contato conosco, preenchendo o nosso formulário e um de nossos especialistas lhe concederá uma reunião gratuita!

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro do Franchising no Brasil.

Até breve!!!

Palestrante e pós graduado em tecnologia, vem empreendendo há 20 anos em diversos segmentos do mercado, atualmente participa como voluntário do ITFB e ICM, é conselheiro da rede de Franquias Liguesite.

Liguesite

O blog Liguesite oferece conteúdo de marketing digital gratuito para empreendedores alcançarem resultados positivos em seus negócios com a internet. Nós queremos ajudar você e a sua empresa também!

Liguesite Matriz

ENDEREÇO

Rua Antonio Daniel Dalcuche Filho, 27
Curitiba
Paraná

 

ATENDIMENTO

(11) 4063-2828   |  (21) 4062-7834
(31) 4062-7934   |  (41) 4063-9808
(48) 4062-1878   |  (71) 4062-9878
(81) 4062-9802   |  (85) 4062-8442

sac@liguesite.com.br

© 2018 Liguesite. Todos os direitos reservados. Leia nossa Política de Privacidade.